Gengivas sadias minimizam a ameaça de câncer

Um recente estudo relaciona a doença das gengivas com um crescimento no risco de desenvolvimento de diversos tipos de câncer em mulheres depois da menopausa, até naquelas que nunca foram fumantes.
A chamada doença periodontal foi associada a um risco 14% maior de desenvolvimento de todo perfilde câncer, divulgaram os estudiosos. Contudo o mais normal seria o câncer de esôfago, três vezes mais esperado de acometer mulheres mais velhas que apresentavam enfermidade das gengivas em comparação àquelas que nunca tiveram problemas na boca.
Ainda por cima, a doença das gengivas também foi associada a um risco maior de desenvolvimento de câncer de pulmão, câncer de vesícula biliar, melanoma e câncer de mama, segundo revelaram os dados, mesmo em mulheres que jamais tiveram contato com cigarros.

Nova forma de prevenir o tumor maligno

gengivas-saudaveis-reduzem-risco-cancer Estas descobertas são capazes de oferecer uma nova maneira de se trabalhar no combate ao câncer, inteiramente relacionada à higiene bucal e ao tratamento e à prevenção da doença periodontal, de acordo com cientistas.
Mesmo que a enfermidade das gengivas tenha sido relacionada também a enfermidades cardíacas, não se compreende exatamente o motivo preciso de o inconveniente estar ligado a um perigo aumentado de surgimento de câncer, declaram os especialistas. Especula-se que a enfermidade das gengivas poderia ser um símbolo à saúde como um todo.
Apesar disto, há verdadeiro perigo de infecção local e sistemática proveniente de bactérias na boca chegando a outros locais através da absorção ou inalação, bem como de micróbios entrando na corrente sanguínea através de tecidos orais.
Como esse apontamento não provou uma relação direta de causa e efeito, uma pesquisa projetada para encontrar especificadamente a falta de limpeza oral e a conexão com câncer poderia auxiliar a estabelecer o que estaria vinculando os dois, disseram cientistas.
Para o estudo, os estudiosos coletaram dados em aproximadamente 66.000 mulheres, com idade entre 54 e 86 anos. As mulheres relataram doença das gengivas em questionários entre 1999 e 2003. Os cientistas monitoraram os resultados do câncer até setembro de 2013. Nesta época, os cientistas identificaram quase 7.200 episódios de câncer.
Segundo estudiosos em odontologia e câncer, uma limitação do estudo é que as mulheres auto relataram sua enfermidade de gengiva. De acordo com os pesquisadores, pode possuir uma conexão entre a doença e o câncer, mas eles não podem dizer o quão intensa é essa interação uma vez que a periodontite foi autorrelatada.
Mais análises são essenciais para efetivamente determinar a ligação. No entanto, os especialistas declaram que caso você elimine a enfermidade periodontal ou enfermidade das gengivas você é capaz de reduzir seu risco de ter câncer.
As pessoas necessitam de estar alertas para os indícios reveladores de doença das gengivas, a conhecer, sangramento das gengivas no momento em que você escova e solta os dentes, ele aconselhou.
Segundo a Dra. Stephanie Bernik, coordenadora de oncologia cirúrgica do Lenox Hill Hospital, na cidade de Nova York, “as descobertas neste estudo seguramente apontam para a necessidade de investigar muito mais a ligação entre enfermidade periodontal e câncer”.
O elo é capaz de não ser direto, porém pode ser meramente que aqueles com fraca higiene oral possuam menos chances de se cuidar de outras maneiras, ela observou.
“Talvez aqueles com má limpeza da boca tenham dietas sem nutrientes, com excesso de peso, falta de atividades físicas ou álcool em grande quantidade, o que demonstrou aumentar o perigo de câncer”, relatou Bernik.
O relatório foi divulgado no dia 1 de agosto no periódico Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention.