A importância de praticar Yoga

Um novo estudo afirma que aqueles indivíduos que fazem Yoga há muito tempo têm a possibilidade de ter um melhor aprimoramento cognitivo na velhice em comparação às demais. De acordo com o trabalho, a execução dessa atividade a longo prazo poderia mudar a estrutura do cérebro a ponto de proteger contra o enfraquecimento mental e a perda de memória em pessoas da terceira idade, especialmente entre as mulheres que fazem Yoga, intituladas como yoginis.

Os estudiosos descobriram que as yoginis idosas possuem maior consistência do córtex pré-frontal esquerdino, nas áreas cerebrais vinculadas a atividades do cérebro como concentração e memória.

 A estrutura e a utilidade do cérebro modificam ao passo que vamos chegando na terceira idade, o que muitas vezes leva ao declínio intelectivo, integrando memória e concentração prejudicadas. Uma dessas mudanças cerebrais é amplamente remetida ao córtex do cérebro, que acaba por se tornar afinado, o que os especialistas evidenciaram que está vinculado com o enfraquecimento cognitivo. Observadores envolvidos na pesquisa explicaram que, precisamente como nossos músculos, o cérebro se expande através do treinamento. Como qualquer atividade contemplativa, a Yoga tem um elemento cognitivo em que a atenção e a concentração são consideráveis.

Os estudiosos queriam pesquisar se os praticantes de Yoga a extenso prazo possuíam diferenças em termos de estrutura do cérebro comparando-se com pessoas mais velhas com muita saúde que em momento algum realizaram a Yoga. Para o exame, eles reuniram um pequeno time de yoginis que havia exercido Yoga ao menos duas vezes semanalmente no decorrer de um mínimo de oito anos, mesmo que o grupo tivesse uma média de mais ou menos 15 anos de prática.

Eles, então, opuseram as yoginis com outro time de mulheres sadias que nunca praticaram Yoga ou atividades de contemplação ou meditação, todavia apresentaram os mesmos níveis de prática física, pertencentes à mesma faixa etária (em média de sessenta anos).

O staff investigou os cérebros dos integrantes empregando ressonância magnética para olhar se existia determinada distinção nos cérebros. Os estudiosos encontraram maior consistência no córtex pré-frontal esquerdo nos yoginis, nas áreas cerebrais associadas a atribuições mentais como atenção e memória.

Enfraquecimento de memória na velhice é frequente, enquanto a exercitação física e as práticas contemplativas podem ajudar a melhorá-la, bem como frutas com antioxidantes, frutas coloridas, vegetais de folhas verdes e grãos integrais, que preservam seu cérebro de radicais livres insalubres, conseguem colaborar significativamente na conservação da cognição.

Aqui estão alguns alimentos que podem fazer maravilhas em favor de sua memória e por seu desenvolvimento cognitivo como um todo.

Vitamina C e B: A vitamina C, achada nas frutas cítricas, está vinculada à agilidade cerebral, na mesma proporção que a Vitamina B ajuda contra o encolhimento cerebral e o comprometimento mental relativo à idade. Detectada em peixes, vegetais de folhas verdes, cogumelos, amendoim, sementes de gergelim e no ovo.

Nozes e Sementes: um punhado de sementes e nozes podem ajudar a melhorar significativamente o seu poder de memória. As sementes de abóbora são repletas de zinco que praticam uma função crucial na restauração da sua memória. As nozes são uma boa fonte de Ômega-3 além de outros nutrientes relevantes para o trabalho do cérebro e aptidões cognitivas. As sementes de girassol são ótimas fontes de vitamina.

 Legumes verdes: brócolis, couve, espinafre – todos os vegetais verdes estão cobertos de ferro, vitamina E, K e B9 (folato) e fitonutrientes como a vitamina C, que são extremamente importantes para o melhoramento de partículas cerebrais. A vitamina K é conhecida por ser útil no aperfeiçoamento cognitivo e no aumento do estado de alerta mental.

Abacates: Enriquecidos com Vitamina E, os abacates estão carregados com antioxidantes que ajudam a manter o cérebro saudável e alerta. Os abacates ainda estão associados com a redução do risco de doença de Alzheimer.

Tomates: os tomates são uma excelente fonte de licopeno que colabora contra a atrofia de células cerebrais e contribui na preservação e produção de novas células cerebrais.

Grãos inteiros: os grãos inteiros são considerados o poder da energia e auxiliam você a se concentrar melhor. Ao consumir grãos inteiros ricos em fibras, a energia é liberada no corpo sob a forma de açúcar que ajuda o cérebro a operar satisfatoriamente, nos mantendo atentos.

Deixe uma resposta